press_release2
Imprimir
PDF

Bia Duarte, pelo segundo ano consecutivo, leva artistas plásticos brasileiros para expor no Salon National Des Beaux-Arts 2009 no Louvre

Escrito por Administrator on 20 Agosto 2011.

A exposição acontece entre os dias 10 e 13 de dezembro de 2009, em Paris, no Salon National Des Beaux-Arts 2009, no Museu do Louvre. Fundado em 1861, há 148 anos, o salão expõe peças de arte com caráter liberal reunindo obras de novos e velhos artistas de todo o mundo. Após o sucesso do SNBA de 2008, a empresária Bia Duarte, que é representante da Delegação Brasileira no Salon National Des Beaux-Arts e Diretora Executiva da B Licenças Poéticas, apresentará no Carrousel Du Louvre - Musée du Louvre em Paris um novo recorte da produção artística brasileira, com temas e técnicas variadas que representam a multidisciplinaridade artística de um povo, cujas obras se destacam pela ousadia e por sua capacidade criativa. O grande valor da seleção está no conjunto e na inquestionável qualidade dos escolhidos.

Serão 15 artistas a expor, que foram cuidadosamente selecionados, dentre aqueles cuja produção marca e representa as significativas diversidades de produção da arte no cenário artístico brasileiro, contemplando um mix de técnicas e linguagens que ora se aproximam ou ora se opõem, nomes como Daniel Azulay, Margot Monteiro, Eduardo Kobra, Kika Goldstein, André Crespo, Susy Magalhães e Marcelo Neves fazem parte do grupo aprovado pelo SNBA. Além de Victor Brecheret, homenageado póstumo da delegação brasileira, que terá uma escultura de bronze exposta.

A seleção de obras que representam o Brasil no SNBA 2009 - Salon National Des Beaux-Arts vai além do estudo da arte e sim da ciência social, sob a aceitação dos desequilíbrios e desigualdades estéticos, o que permitirá aos visitantes conhecer a rica tendência criativa dos artistas brasileiros no campo da arte contemporânea. "Esta mostra é de grande importância para o nosso país, pois é mais um meio para divulgarmos a arte criada e produzida aqui, mostrando ao mundo que temos um modo único para expressarmos nossa inventividade", conta Bia também pré-curadora dos expositores brasileiros.

As obras brasileiras serão expostas em um espaço de 18m² lineares, disponíveis para apreciação de especialistas e interessados em arte que passarem pelo Salon National Des Beaux-Arts 2009. O grupo brasileiro se completa com as presenças de Alessandro Jordão e Kiko Sobrino, Anna Guerra, Charles Chaim, Gabriel Nehemy, Lilian Bomeny e Gustavo Rosa.

Entre os brasileiros um artista plástico espanhol também terá seu espaço. Convidado especial, David Dalmau é artista plástico, fotógrafo e cenógrafo, na década de 90 visitou o Brasil, quando foi curador assistente, da 21ª Bienal Internacional de São Paulo e se apaixonou pelo país. Essa experiência representou um estímulo adicional para que este artista sempre em busca do novo decidisse residir no Brasil, abrindo seu ateliê e galeria de arte na capital paulista.

Segundo Bia, essa segunda participação brasileira só fortalece a divulgação da arte de nossos pintores e escultores dentro de um dos mais conceituados museus, além de solidificar as relações culturais com um dos maiores mercados consumidores de artes plásticas do mundo, o mercado europeu.

Após o sucesso do SNBA de 2008, a empresária Bia Duarte, que é representante da Delegação Brasileira no Salon National Des Beaux-Arts e Diretora Executiva da B Licenças Poéticas, apresentará no Carrousel Du Louvre - Musée du Louvre em Paris um novo recorte da produção artística brasileira, com temas e técnicas variadas que representam a multidisciplinaridade artística de um povo cujas obras se destacam pela ousadia e por sua capacidade criativa.

ARTISTAS

ALESSANDRO JORDÃO E KIKO SOBRINO

Formados em artes plásticas, Jordão e Sobrino começaram a trabalhar desenvolvendo quadros e participando de exposições em São Paulo. Em 2000, com a participação na exposição Mídia e Loucura, realizada em Milão, Roma e São Paulo, a dupla ganhou o primeiro prêmio de melhor trabalho da América Latina em Roma. O trabalho da dupla evoluiu para o trabalho de design, e ingressaram na Domus Academy. Lá permaneceram por dois anos aprendendo com ícones da área como Karim Rashid, Phillipe Starck e Moroso.

ANDRÉ CRESPO

André Crespo cursou artes plásticas na FAAP. Antes de assumir a pintura em tempo integral, trabalhou com publicidade, jornal e cinema, que contribuíram nas áreas de stop-motion, cenários, animação digital, edição e direção de arte. No ano de 2001, foi assistente do mestre em artes plásticas Newton Mesquita, que também foi o responsável pela transformação do artista.

ANNA GUERRA

Nascida no Recife, em 25 de julho, mas cresceu em Carpina, Cidade da Zona da Mata de Pernambuco. Formada em arquitetura pela FAUPE- Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Pernambuco. O aprendizado veio através de estudos, aulas e leituras, mas veio também por meio da observação do trabalho de outros artistas. Sua maior inspiração é o artista Caribé.

CHARLES CHAIM

O mineiro Charles Chaim começou sua carreira no teatro como ator, depois estudou jornalismo, mas no meio do caminho descobriu as artes plásticas. Desde criança já demonstrava interesse pela arte. Autodidata, Charles Chaim fez sua primeira exposição utilizando materiais recicláveis. Influenciado, principalmente por Andy Warhol, o artista trabalha no estilo pop art. Os retratos estilizados são os preferidos do artista.

DANIEL AZULAY

Nascido no Rio de Janeiro, em 1947, formou-se em Direito enquanto fazia desenhos de humor e histórias em quadrinhos para revistas e jornais. Autodidata, em 1970, expôs no Museu de Arte Moderna do Rio Janeiro suas primeiras experiências gráficas e visuais em caleidoscópios de acrílico. Aos 62 anos, Azulay viaja pelo mundo realizando exposições, palestras e workshops de arte-educação nos Estados Unidos, Israel, Finlândia, Suécia e Portugal. Em 2007, seu trabalho como voluntário e criador do Projeto Social "Crescer com Arte" para crianças e jovens de comunidades carentes foi premiado e reconhecido pela ICAF - International Child Art Foundation em Washington, DC.

DAVID DALMAU

O artista plástico, fotógrafo e cenógrafo David Dalmau nasceu no dia 4 de dezembro de 1962 na Espanha, e desde a infância viajou pelo mundo visitando galerias e museus com seu pai, um colecionador de arte e homem de negócios. Suas pinturas têm a tradição do expressionismo figurativo europeu, destacando os temas urbanos; sua técnica combina simplicidade e sofisticação com brilhante uso de cores, em imagem de festas, multidões anônimas e a tão almejada e utópica felicidade eterna.

EDUARDO KOBRA

Por volta de 1987, Eduardo Kobra se destaca com seus graffitis e do movimento Hip Hop, que se espalhava pela cidade. Com os desdobramentos, que a arte urbana ganhou na Capital, o artista criou o Studio Kobra nos anos 90 - para um muralismo original - inspirado em muitos artistas, especialmente nos pintores mexicanos, beneficiando-se das características de artista experimentador, bom desenhista e hábil pintor realista. Suas criações são ricas em detalhes, que mesclam realidade e um certo "transformismo" grafiteiro.

GABRIEL NEHEMY

Formado pela FAAP em publicidade e propaganda, Gabriel Nehemy, nasceu em 1979, em São Paulo. Em 2001, começou a desenvolver suas primeiras pinturas no Atelier Eny Aliperti Ferreira, em Ribeirão Preto. Mas, foi em 2003, quando mudou para Londres, que decidiu levar a carreira de artista como profissão. Em seus trabalhos atuais o uso dos materiais como lona desgastada pelo tempo, a tinta acrílica e a possibilidade de trabalhar com camadas são características marcantes do artista, além da finalização com bastão a óleo.

GUSTAVO ROSA

Nascido em São Paulo, em dezembro de 1946. Gustavo Rosa é pintor e desenhista considerado um dos mais criativos artistas de sua geração. Não pertence a uma escola específica nem segue nenhuma tendência ou modismo. Criou uma obra pessoal com linguagem própria e personagens de um inesgotável humor caricatural. Artista prestigiado entre personalidades e famosos no Brasil e no exterior, tendo inclusive sua Grife Gustavo Rosa, lançada na Bloominngdale's em Nova York, em 94.

KIKA GOLDSTEIN

Maria Julia Goldstein Abujamra, mais conhecida como Kika Goldstein, nasceu em 28 de setembro de 1984. A poética do seu trabalho sempre esteve relacionada à figura humana e à personificação das cores numa alquimia mágica de tons vibrantes e únicos. Inspirada fortemente pelas influências do Cubismo e do Surrealismo, sua carreira teve inicio em 2000 com a série: Pedestres, onde personagens caricatos e estilizados, retratam com humor cenas do nosso cotidiano.

LILIAN BOMENY

Nascida no Rio de Janeiro, teve a paisagem da cidade maravilhosa como influência de estética. Autodidata, a artista não tem um estilo definido em suas obras, apenas deixa que o sentimento flua e o transporta para as obras. Atualmente, se dedica às pinturas de pratos, painéis e telas. A artista já participou de mais de 20 exposições no Brasil e no exterior, onde tem várias obras comercializadas.

MARCELO NEVES

Jovem talento no mundo das artes, sua sensibilidade ao observar a anatomia humana, a forma dos objetos e a sua ocupação no espaço, fez com que ele desenvolvesse esculturas exuberantes. A anatomia surpreendente, os volumes impressionantes e a leveza dos gestos, tudo muito sutil. A matéria é o bronze; a elaboração parte de seus desenhos a carvão e evoluem para seu manuseio com a argila onde a figura toma suas formas. Todos os cuidados são importantes até a finalização com a fundição e os acabamentos das texturas e pátinas. As personagens são figuras gordas que dançam ou um tango argentino ou um frevo. Outras praticam esportes com bambolê, fitas ou pulando corda. Tudo com leveza e graciosidade.

MARGOT MONTEIRO

Arquiteta formada pela Universidade Federal de Pernambuco. Iniciou-se nas artes plásticas em 1973, quando freqüentou, além da Escola de Arquitetura, o Atelier da Escola de Belas Artes do Recife e no MAC. No seu currículo, inúmeras exposições coletivas e individuais no País e no exterior. Atual diretora do Museu do Estado de Pernambuco recebeu o diploma Lula Cardoso Ayres do Conselho Estadual de Cultura como Artista Plástica- Ano 2000 e participou da Bienal de Cerveira, em Portugal.

SUSY MAGALHÃES

Nascida em Ipojuca, município de Arcoverde, em Pernambuco e desde 2000 vem atuando de forma profissional no cenário artístico, realizando exposições no Brasil e no exterior. A Natureza é a principal fonte de referência para a concepção de seu trabalho onde a flora é eleita como meio de resgate e recuperação da visualidade regional e do clima do Estado de Pernambuco, em uma profunda identificação com suas próprias experiências de vida.

VICTOR BRECHERET

Foi um artista que viveu até meados do século XX. Clássico na sua formação, na sua técnica extremamente apurada de profundo conhecedor do seu "metier" fundem-se no artista o artesão e o criador de obras monumentais. Brecheret viveu o "art-déco" e "noveau", mas manteve acima de tudo um estilo próprio, visto que para aqueles que conhecem seu trabalho as obras desse período são inconfundíveis, possuidoras de um traço pessoal. Nesse período expôs constantemente em todos os salões que se realizava como o "Salon d'Automne", "Salon de la Société des Artistes Français - Section de Sculpture et Gravure sur Pierre" e "Salon des lndépendents".

Sobre Bia Duarte

Após viver 14 anos em Miami, nos Estados Unidos, Bia Duarte voltou ao Brasil em 1999, trazendo a marca Britto do artista pop Romero Britto, reconhecido internacionalmente. Marca essa, que representa com exclusividade há mais de nove anos no País.

Bia Duarte é especializada em licenciamento e uso de imagem de obras de artistas plásticos. Preside, atualmente, a empresa B Licenças Poéticas, empresa dedicada à difusão da cultura brasileira por meio do licenciamento de imagens e projetos especiais de artistas para empresas de diversos setores e de qualquer parte do mundo.